Pessoas que Partiram, sem passagem de Volta

    Confesso que esse dia nunca me chamou muito a atenção, eu simplesmente ignorava a data por não ter perdido ninguem até então e estranhava que minha mãe ficasse triste nessa data, mas ela tinha uma razão, perdeu seu pai muito cedo e a data fazia as lembranças de infância voltarem naturalmente.
   Na minha familia existia, e existe até hoje, aquela preservação das crianças e nós(as crianças) nunca fomos à enterros ou cerimônias funebres e até entendo, tambem acho desnecessário.
   Esse ritual para mim começou à mudar quando aos 18 anos perdí minha avó materna, um dia antes de meu aniversário e não pelo aniversário, mas pela falta que ela faria doeu demais, era aquela avó de contos de fadas que me entendia só com o olhar, mais tarde veio o verdadeiro choque ao perder meu pai, eu já passava dos trinta, mas essa dor não tem idade e a lembrança sempre está presente, principalmente quando em certas ocasiões me vejo no espelho e quase que vejo a imagem dele a pessoa que mais discutiu comigo na vida.
   E hoje é o dia deles, pessoas que partiram, faleceram, morreram e são lembradas. Descobri que no México tem até festa como mostra o cartaz acima, cada um sabe o tamanho de sua dor. A minha pode ser expressada pela letra da música do Pato Fú, em que Fernanda Takai lembra o pai, e a lçetra foi feita pelo marido, John.

                                  CANÇÃO PRA VOÇÊ VIVER MAIS

Nunca pensei um dia chegar
E te ouvir dizer:
Não foi por mal mas hoje vou te fazer chorar
Hoje vou te fazer chorar
Não tenho muito tempo
Tenho medo de ser um só
Tenho medo de ser só um
Alguém pra se lembrar
Faz um tempo que eu quis
Fazer uma canção
Pra voçê viver mais
Deixei que tudo desaparecesse
E perto do fim
Não pude mais encontrar
E o amor ainda estava lá.

Comentários