Faroeste Caboclo-Vi, gostei...

     Depois de assistir "Somos tão Jovens", ontem foi a vez de "Faroeste Caboclo", claro que este último sem a mesma emoção do primeiro , mas com a curiosidade de um adolescente que cresceu ouvindo a Legião Urbana, e olha que o diretor conseguiu passar a maior parte da letra para o filme, algo que eu considerava bastante dificil.Abaixo algumas coisas que à meu ver faltaram, e que na realidade não fizeram tanta falta assim:

-Quando criança só pensava em ser bandido?
-Era o terror da cercania onde morava?
-E na escola até o professor com ele aprendeu?
-Ia pra igreja só pra roubar o dinheiro que as velhinhas colocavam na caixinha do altar?
-Ele queria sair para ver o mar?
-E as coisas que via na televisão?
-Comia todas menininhas da cidade?
-Comprou uma passagem foi direto à salvador?
-Na sexta feira ia pra zona da cidade gastar todo o seu dinheiro de rapaz trabalhador?
-E ouvia às sete horas o noticiario que sempre dizia que o seu ministro ia ajudar?
-O tempo passa e um dia vem na porta do senhor de alta classe com dinheiro na mão?
-Santo cristo não sabia o que fazer quando viu o repórter da televisão?
-No sábado então às duas horas todo o povo sem demora foi lá só para assistir?
-João olhou pras bandeirinhas e pro povo a aplaudir?

     Brincadeiras à parte, foi um bom filme, com uma excelente história vinda da mente iluminada de Renato Russo. Parabens ao roteirista e ao diretor, vale à pena conferir, principalmente se tu viveu os anos oitenta.

Comentários