Nem a Casa Sobrou...




   

              Há muito tempo atrás morava na minha rua uma menina que se chamava Andrea. Ela era linda, e era a preferida entre os meninos do colégio e as vezes a curiosidade bate e eu lembro onde estaria Andrea hoje, será que continua com seus encantos? será que casou? será que sabia que era encantadora aos dez anos de idade?acho que esta resposta jamais terei, o que lembro é que Andrea provocava em mim um desejo incontido de querer estar ao seu lado, e muito provavelmente aos dez anos eu nem saberia o que fazer se tivesse a oportunidade de estar ao seu lado. Andrea hoje tem mais de quarenta anos, ela ficou pouco tempo no mesmo colégio que eu, certamente nunca soube que tinha um admirador secreto, e certamante não faria a menor diferença para ela saber disso, mas para mim fez. Hoje passei em frente à casa em que Andrea morou, e a saudade bateu, na realidade não a saudade de Andrea, mas a inocência de criança apaixonada que passava dez vezes por dia de bicicleta em frente a sua casa sem que ao menos uma vez sequer tivesse ao menos um sorriso correspondido. O Amor não aconteceu, Andrea se mudou e hoje começou a demolição da casa, então até o final do mês, nem a casa existirá mais, ou seja, daquele provável amor de infância, nem a casa sobrou...

Comentários