Lembranças vendo o filme do Thor

Havia um tempo em que eu vivia, um sentimento quase infantil.....aliás, eu era infantil, eu era uma criança. Ao menor sinal de perigo eu levantava meu martelinho e espantava o mal, seja ele qual fosse. e tal como meu herói dos quadrinhos eu não tinha medo de nada, eu tinha meu amuleto ao lado. e ele tinha uma tremenda importância, que hoje mesmo fazendo seis anos de sua partida, todos os dias sinto um aperto no coração e sinto não ter ouvido ele dizer(Como o pai de Thor), que ele tinha orgulho de mim. sim. Thor era meu herói de infância, meu herói de brinquedo, (talvez pela semelhança, pois eu tinha os cabelos bem loiros e olhos azuis igual ao herói).de brinquedo sim pois o de verdade era meu pai e ele sempre soube disso.Mas porque lembranças assim no dia de hoje?é que acabei de assistir o filme do herói, aliás muito ruim, só serviu para trazer as lembranças, de um tempo em que eu com cinco ou seis anos empunhava meu martelinho e pensava que nada poderia me fazer mal. hoje sei que aquelas pessoas passando fome, aquelas pessoas passando frio, são aquelas pessoas que jamais poderei ajudar. é triste chegar à essa conclusão, mas ao mesmo tempo fico feliz em lembrar que um dia esse menino loirinho de olhos azuis, levantou seu martelinho e disse que salvaria o mundo, que encontraria a companheira, mas que sabe que o tempo passou e nada disso aconteceu. hoje o herói está ficando velho, os cabelos loiros estão ficando brancos, os olhos azuis já não enxergam como antes, mas o coração de criança, a vontade de salvar o mundo e de ser herói  continuam, e é isso o que vale, mas uma coisa Thor tem que eu não terei mais, os conselhos de seu velho pai, sábios conselhos. 

Saudades do velho campeão, castelhano, negrito...essa saudade que ninguem vai conseguir apagar. Lembranças de um tempo em que eu era feliz e sabia.


Comentários

Ledventure disse…
Raul.

Teu texto me fez lembrar da criança que fui e que tinha a certeza de que mudaria o mundo... os anos se passaram e descobri que mudar o mundo não é tão fácil como me parecia.
Hoje vivo a vida e faço a minha parte para não piorar o mundo que vivemos, mas sempre é bom me lembrar do Leandro que iria mudar o mundo... Abraços do amigo Leandro.