Hotel Paris-Rio de janeiro

Rio - Antiga sede da grife Daspu e tradicional ponto de prostituição no Centro do Rio, o Hotel Paris, na Praça Tiradentes, dará lugar a suntuoso espaço de hospedagem da rede francesa La Suite. Se antes os clientes que utilizavam os ‘serviços’ da casa pagavam R$ 15 por 30 minutos num dos quartos, a partir de 2012 o público vai mudar totalmente: hóspedes de luxo vão gastar R$ 1 mil pela diária.




Atraídos pelo projeto Monumenta/Tiradentes, de revitalização da área, os compradores do imóvel, os irmãos franceses Jacques e François Dussol, pretendem transformar o prédio em um hotel ‘design’. O estilo é baseado em acomodações exclusivas, conjugando o novo com o antigo.



O imóvel de 5 andares e 36 cômodos, construído no início do século passado e utilizada como bordel desde 1945, deve ter a estrutura e as fachadas conservadas. Só o interior ganhará novo desenho, ainda em discussões.



Já a mudança no entorno, programada pela prefeitura, começa amanhã, com a transferência de 10 pontos finais de ônibus da Praça Tiradentes para o Campo de Santana. Cerca de 250 veículos devem deixar de circular na área. “A região se tornará um polo turístico e cultural”, aposta o subprefeito do centro, Thiago Barcellos.



Até março, R$ 3,5 milhões devem ser aplicados na praça para alargamento de calçadas, reforço na iluminação e retirada das grades. A verba é do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).



Garotas têm até o dia 18 para sair



O próximo dia 18 é data-limite para que as prostitutas que ainda fazem programa no hotel deixem o local. Mas, com a compra do imóvel — por R$ 1,4 milhão, segundo a Daspu — pelo grupo francês, a famosa grife de prostitutas, coordenada pela ONG Davida, já está sem teto. Há uma semana, as integrantes fizeram a mudança do Hotel Paris e arquivaram documentos e objetos na casa de uma amiga no Grajaú.



Com isso, o atendimento às prostitutas e a venda das roupas estão comprometidos. A intenção do grupo é conseguir com a prefeitura casa nos arredores do Estácio, da Cidade Nova ou Centro.

Comentários